A estatística está em tudo

  • Como é possível observar o uso da estatística no dia a dia?
  • Será que ela, assim como a matemática, está muito mais presente em nossas vidas do que imaginamos?

No último dia 26 de outubro, o professor Edson Zangiacomi Martinez do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP discutiu alguns pontos sobre estatística, no Adote um Cientista da Casa da Ciência do Hemocentro de Ribeirão Preto.

A palestra integrou a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), com o tema a “Matemática está em tudo”, que aconteceu de 23 a 28 de outubro. O evento, coordenado por órgãos do Ministério da Ciência e Tecnologia do Governo Federal em parceria com entidades educativas de todo país, tem como objetivo fazer com que a população, em especial jovens e crianças, conheçam e discutam resultados, relevância e impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações.

A estatística é uma área que não envolve somente a matemática, mas está ligada a muitas outras formas do conhecimento. Dessa forma, o professor salientou em sua palestra que apesar da estatística usar constantemente o conhecimento matemático, de uns tempos para cá a disciplina vem se desvencilhando e se tornando uma área independente de estudo.

De acordo com o palestrante, o maior propósito da estatística é unir informação e conhecimento, tendo a capacidade de transformar os dados adquiridos em conhecimento relevante para o ser humano e também entender melhor diversas situações do dia a dia.

A estatística agrupa, organiza, descreve as informações contidas num banco de dados, por exemplo. Na saúde, a estatística é uma ferramenta que colabora para a o mapeamento de doenças como a dengue e febre amarela. Ao se agrupar, organizar e descrever informações contidas em um banco de dados, por exemplo, podemos compreender fenômenos passados ou ainda prever acontecimentos futuros e nos preparar para eles.

Durante a palestra surgiram perguntas como:

Onde se usam os modelos de regressão linear?

Se os prazos de garantia dos eletrodomésticos também são estabelecidos com base em dados estatísticos?

Quer saber mais sobre esse bate papo numéricos? Então confira a palestra completa no link abaixo.

 

 
Por: Crislaine Messias
Revisão: Caio M.C.A. de Oliveira

%d blogueiros gostam disto: