Alunos transformados

A Casa da Ciência sempre teve interesse em acompanhar mais de perto o comportamento dos alunos em suas próprias escolas, para responder questões como: Participar dos programas da Casa tem despertado nos alunos maior interesse pelos estudos? E o conteúdo, será que os estudantes compartilham o que aprendem com os demais colegas na escola?

A professora Daniela Defelippo, da escola estadual Paiva II, de Ribeirão Preto, falou sobre as impressões observadas nos alunos durante o primeiro semestre de 2017. “Apesar de não ser a professora deles este ano, já percebi grandes mudanças no comportamento e maior interesse aos estudos. Conversei com alguns professores que confirmaram: estão mais participativos e levando os estudos com mais seriedade”.

A aluna Gabrielli Vitória participou do grupo “Alice e a Promoção da Saúde: Qual o caminho para o protagonismo adolescente na sua saúde?” De acordo com Daniela, “Gabrielli era uma menina que apresentava algumas dificuldades na aprendizagem e nos surpreendeu. Hoje ela está focada e interessada, além de estar participando ativamente das aulas”, diz a professora. “Não entendia muito bem de protagonismo, hoje acho que sou protagonista pelo quanto aprendi”, conta a aluna Gabrielli.

Já o aluno Stiven Emanuel, fez parte do grupo “Exército do bem – E o Cavalo de Tróia” e também se destacou. Daniela disse que “no início do projeto Stiven estava sem interesse, achava que jamais conseguiria aprender as ‘coisas difíceis’ apresentadas nas palestras”. O aluno faltou no pré-mural por medo de não conseguir apresentar, mas no dia do mural acabou surpreendendo.

Após os oito encontros do Pequeno Cientista, Stiven se mostrou mais confiante e deu uma aula sobre Sepse no mural. Ele apresentou os conceitos e os desenhos que havia feito, e falou sobre o que havia aprendido.

O depoimento de cada aluno é o principal reflexo da importância das atividades promovidas pelos programas da Casa, pois está entre os objetivos promover o crescimento intelectual e pessoal dos estudantes, além de procurar instigar em cada um a curiosidade de aprender e questionar, já que para a Casa da Ciência, o porquê é a palavra chave para o caminho do conhecimento.

 

Por: Crislaine Messias

%d blogueiros gostam disto: