Canto da Ciência

 

COMO OS FENÔMENOS FÍSICOS FACILITAM OS FENÔMENOS QUÍMICOS NO METABOLISMO BIOLÓGICO

O grupo analisou os fenômenos químicos no metabolismo e como os fenômenos físicos podem influenciar ou não este processo. Para essa investigação, pedaços de carne de diferentes tamanhos foram colocados dentro de copos com suco de abacaxi para simular o processo digestório e entender como as carnes em diferentes tamanhos reagem ao processo de quebra dos nutrientes em moléculas menores.


COMPOSTAGEM

O grupo decidiu fazer três tipos diferentes de composteiras para analisar o crescimento de feijões em cada uma delas: uma contendo frutas cítricas, uma contendo cloreto de sódio, e uma sem carboidratos, cloreto de sódio e frutas cítricas. Após 20 dias, foi recolhido o chorume para plantar feijões em cada amostra.


DORME-JOÃO

O objetivo do grupo foi testar vários tipos de estímulos (desde toque, sons e sopros) com as folhas do Dorme-João, planta que possui sensibilidade ao toque.


FEIJÕES

Este grupo teve como objetivo a análise do crescimento de feijões em diferentes tipos de solos e temperaturas. Para isso foram utilizados 90 feijões e 9 vasos com 3 tipos de solos diferentes: terra vermelha, terra roxa e areia. Os feijões foram submetidos às seguintes temperaturas: temperatura ambiente, aquecido durante 5 minutos e uma hora em resfriamento.


FORMIGAS

O objetivo do grupo foi estudar três espécies diferentes de formigas, observar o ambiente em que vivem, a temperatura e suas resistências, e responder às seguintes perguntas: Por que cada espécie tem uma velocidade diferente? Quais são herbívoras e quais são carnívoras?


HELIANTHUS ANNUS: ESTUDANDO AS PROPRIEDADES DE HELIOTROPISMO DO GIRASSOL

O objetivo do grupo foi analisar o crescimento da planta, de diferentes espécies em diferentes locais, e investigar se o heliotropismo do girassol pode receber influências externas. Para a primeira análise, o grupo observou o crescimento da planta de diferentes espécies em diferentes locais, e para a segunda eles aplicaram protetores solares (FPS 30 e 50) nos girassóis para observas suas reações.


IPÊS

O grupo realizou uma pesquisa em seis ipês para datar as espécies imóveis que viviam neles, como fungos, bactérias, líquen, entre outros, e ver a relação que elas tinham entre si e com o meio.


PERCEVEJOS

O objetivo do grupo foi analisar o percevejo, sua espécie, o processo de ecdise, onde habitam, do que se alimentam, e o porquê de mudarem de região na árvore durante o dia.


TERRÁRIO

Este grupo analisou o desenvolvimento de diferentes espécies de aranhas e plantas em um terrário.


TIRIRICA: UMA PRAGA RESISTENTE

O aluno João Wellington de Cravinhos buscou uma maneira eficiente e natural de eliminar a gramínea “tiririca” da horta. Para este teste, foram utilizados chorume, açúcar, cal, garrafas PET, suportes de tubo de ensaio, três tubos de ensaio, exemplares de “tiririca” e água.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp