Contaminação positiva

A escola estadual Jardim Paiva II está localizada bem próxima a Casa da Ciência e no primeiro semestre de 2017 começou a participar das atividades oferecidas pela Casa.

Daniela Defelippo, professora responsável por acompanhar os alunos ao Adote um Cientista e Pequeno Cientista, programas oferecidos pela Casa, diz que a participação nas atividades da Casa tem sido importante para despertar os demais a quererem aprender coisas novas. “A escola está passando por uma contaminação positiva… Muitos alunos que não estão no projeto da Casa vêm me procurar para saber como podem fazer parte”, explica Daniela.

De acordo com a coordenação da escola essa “contaminação” tem sido muito comemorada, pois tem ajudado os estudantes a terem uma nova perspectiva de vida, por meio do estudo “Percebo que participar da Casa tem proporcionado aos adolescentes a chance de conhecerem um novo mundo, tanto que já ouço muitos comentarem que desejam fazer faculdade, ou seja, continuar os estudos”, diz a professora Gisele de Moura, diretora da escola.

A mudança de perspectiva é algo comemorado, pois os alunos do Paiva II também convivem com a realidade de terem que ajudar suas famílias nos afazeres/sustento da casa. Isso faz com que as atividades extraclasses como as da Casa da Ciência levem um tempo para serem reconhecidas, visto que o diploma costuma ser a principal preocupação para que o filho ingresse no mercado de trabalho, mesmo que precocemente.

Além da parceria com a Casa da Ciência a escola do Jardim Paiva II também desenvolve projetos como: monitoria de alunos, e a experiência com o cultivo de sementes na horta da escola, todas com orientação dos professores.

A expectativa da coordenação e da professora Daniela Defelippo é que os novos estudantes, que ingressaram na Casa da Ciência neste segundo semestre, participem das atividades e fortaleçam a corrente de conhecimento e mudança de pensamento iniciada na escola.

Por: Crislaine Messias

Revisão: Marisa Barbieri

%d blogueiros gostam disto: