Desorganização: é o fim ou o começo?

O último dia do evento começou com a apresentação dos alunos, que exibiram os modelos criados com massa de modelar no segundo dia e falaram sobre os conceitos envolvidos nas representações que escolheram.

 

Membrana do Macrófago Célula Muscular Solo grumoso
   
“A gente fez a membrana do macrófago interagindo com a proteína da membrana plasmática de uma bactéria. É assim que ele sabe diferenciar a bactéria das hemácias. Quando sabe que é bactéria, ele fagocita”. “Ela é mais esticada, porque você move mais as células musculares. Então ela fica mais esticada. Ela não é redonda”. “Para caracterizar um solo grumoso precisa da quantidade certa de água, do clima certo e principalmente dos micro-organismos, as bactérias. Todos os grumos são bem unidos porque as bactérias soltam uma cola que unem eles”.

 

Após a apresentação, a equipe falou aos jovens sobre como os sistemas podem ser desorganizados e alcançar novas organizações. O solo, por exemplo, pode ser desestruturado pela ação das chuvas ou efeito térmico provocado pelo sol, além disso, a aração em profundidade inadequada também pode colaborar para o desequilíbrio do solo, causando sua compactação e dificultando o enraizamento e crescimento das plantas.

A célula também é uma estrutura que pode ser desorganizada. Para explicar isso, a conversa mudou o foco para a genética: Como compreender a complexa organização e desorganização encontrada nas mutações, associadas ao processo de seleção natural, juntamente com frequência gênica em populações? Para discutir isso, a equipe falou sobre os agentes externos responsáveis pela modificação do material genético e também sobre as mutações herdadas. A anemia falciforme foi utilizada para exemplificar como uma mutação no gene pode causar alterações morfológicas, pois é uma doença genética na qual o corpo produz hemoglobina em formato de foice, conhecida como hemoglobina falciforme.

Para tratar destes conteúdos complexos a Casa adequou o Jogo dos Canudinhos*, que aborda o tema anemia falciforme, para três diferentes situações teóricas. Divididos em grupos, cada um apresentando um ambiente distinto, os jovens aprenderam sobre as pressões seletivas diferenciadas e interpretações complementares. Após simulação de três novas gerações em cada população, foi possível discutir a questão de genes deletérios (que causam doenças) ao longo do processo evolutivo, assim como questões sobre o efeito fundador em cada população e a importância do indivíduo heterozigótico (com dois alelos diferentes) na perpetuação de genes.

 

*Jogo dos Canudinhos – uma produção de professores e pesquisadores participantes do curso de especialização “As Células, o Genoma e Você, Professor” (2001-03).