Ex-alunos da Casa são aprovados no vestibular

É sempre muito bom acompanhar o desenvolvimento e as conquistas dos alunos que passaram pela Casa. Alguns ficam por um semestre, outros por um ano inteiro e outros até mesmo por mais tempo, mas todos deixam sua marca de uma maneira ou de outra, assim como a Casa da Ciência também deixa a sua marca nos alunos.

Hoje recebemos as incríveis notícias dos ex-alunos que foram aprovados no vestibular para os cursos de suas escolhas e também seus depoimentos de como a Casa exerceu influência sobre cada um deles.

Bionda Mayara Pereira

“Quando tinha meus 16 anos, nova demais e sabendo pouco sobre a vida, conheci o Férias com Ciência (o que participei foi o “Vegetando nas Férias”, sobre leguminosas e vegetais) fomos até ao laboratório, inclusive a primeira vez que conheci um! Foram três dias inesquecíveis, aprendi muito e percebi que tudo, tudo mesmo, pode ser visto fora do senso comum e dos livros didáticos. Logo em seguida, me inscrevi no Adote um Cientista e bom, foram os melhores dois anos (cinco semestres) da minha vida. 

 Me tornei uma pessoa mais comunicativa e extrovertida devido a eventos como Pré-Mural e Mural, me saí muito bem e descobri que contar aos outros o que nos fascina é uma das melhores sensações possíveis. Além disso, aprendi a fazer anotações daquilo que importa. Durante meus estudos para o vestibular, eu percebi que não mais era uma máquina de copiar lousas, e sim uma pessoa que presta atenção e anota o seu próprio ponto de vista sobre o assunto em questão.  

Conheci pessoas que levarei para o resto da vida em um cantinho do peito, tanto nossos orientadores e colegas, quanto a equipe: O grande Beto que sempre resolveu todos os problemas com um humor contagiante; a prof.ª Marisa, que desde sempre cobrou que eu desse o melhor de mim; O Caio e a Bárbara que organizavam atividades incríveis, e com certeza a equipe do jornal da USP que, como sempre presente, motiva a todos e mostra que aqueles grupos de jovens cientistas são importantes e fazem a diferença.  

No fim das contas, apenas tenho que agradecer pelo que me tornei. Hoje, fui aprovada em um curso que nunca pensei que faria: Química! E se me perguntarem como cheguei a escolher, tenho os pés firmes ao afirmar: A Casa da Ciência me ajudou a ver o mundo por outros ângulos, percebi que adoro entender como as coisas funcionam e me questionar sobre tudo. E na química, vi a oportunidade perfeita para chegar na essência que o projeto me ajudou a ver no mundo. 

Por fim, espero que tenha marcado, ao menos um pouco, a história de um projeto que me ajudou a me descobrir. Vocês são pessoas incríveis e estão possibilitando que jovens, assim como eu, vejam o quão interessante é a vida em seu jardim, escola… Muito obrigada por tudo, me senti bem-vinda e parte da família da Casa, e agora pretendo ajudar, com o que for possível, para que esse projeto perdure por muito tempo, mudando histórias como a minha e de muitos outros.”

Graciella dos Santos Favoreto

“Participar da Casa da Ciência fez total diferença para mim. Total mesmo. Aprendi a escrever graças às oficinas que tinham na Casa e às correções que a equipe fazia dos meus textos sobre as palestras, apontando meus erros, tanto que eu nem treinava redação em si, só gravava algumas citações para ter repertório. A estrutura eu apenas lia, devo ter feito umas quatro redações no ano. Precisei estudar vários conceitos em casa, mas eu sabia como fazer isso, e isso também foi importante por causa da Casa. Tive independência para desenvolver meus estudos. Diferentemente da escola, na Casa nós pensamos por nós e tanto as palestras quanto os grupinhos exercitam a curiosidade e o interesse. 

Assinei um intensivo no final, cheguei a utilizar por uns 3 ou 4 meses. E nas matérias, durante a resolução, algo muito impactante foi ver o que antes passava despercebido. Geralmente eu gostava quando a palestra ou atividade era repleta de perguntas. Quando eu queria responder alguma pergunta ou fazer uma, meu coração até acelerava. Eu não fui a melhor, mas pensando que estudei em casa por conta própria, tô felizona haha. Antes da Casa eu não sabia nem que existia universidade.

Acho que encontrei o curso que eu queria, e o grupinho que participei do Vinicius Anelli e minha IC tiveram boa influência…excel e ciência, saúde, etc.”

Iasmin Gontijo Souza

“A Casa se tornou meu segundo lar. A forma com que aprendi dentro da Casa da Ciência era totalmente distinta da que aprendia na escola. Lá [a Casa] nós aprendemos a escutar e a selecionar as informações, a anotar por conta própria, ter autonomia e vontade de ensinar outras pessoas – não consigo contar nos dedos da mão quantas vezes cheguei em casa empolgada para mostrar para a minha família o que tinha aprendido naquela quinta-feira. 

A criatividade que desenvolvi fazendo textos e fanzines para a Gabriella e todas as práticas nos grupinhos foram muito importantes para a minha entrada na faculdade. O maior diferencial da casa para mim foi me sentir bem, sem nenhuma pressão de prova ou competição com outro aluno. Dentro da Casa não existia ‘ser melhor’, mas sim estar evoluindo intelectualmente. Sou eternamente grata por tudo que vivi lá, a cada segundo a vontade de aprender crescia e tenho certeza que hoje os alunos da Casa têm a mesma perspectiva que eu tive quando participava dos encontros.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp