Nem bom, nem ruim: desvendando mitos sobre os alimentos

       Somos acostumados a pensar de forma dualística, ou seja, o certo ou errado, feio ou bonito, bom ou ruim. Essa maneira de julgar faz parte de nossa cultura e é um terreno fértil para o surgimento de crenças e mitos, preocupação e objetivo do doutorando Fábio Veiga que acreditou na Ciência como busca de verdades em sua palestra no Adote um Cientista do dia 17 de maio.

       Falar de alimentação envolve muitas variáveis como o gosto ou preferência por determinados alimentos, a disponibilidade dos mesmos em sua região ou estação, bem como as condições econômicas e a cultura de quem se alimenta. É complexo, mas o palestrante gosta disso e revela caminhos que começam por perguntas:

  • “O X-salada é vilão ou herói?”
  • “Qual é a diferença entre light e diet?”
  • “Comer a noite engorda?”
  • “Comer em panelas de ferro combate a anemia?”

       Segundo o pesquisador, nenhum alimento é vilão ou herói. O fator determinante pode ser a quantidade e o balanço energético. “Eu posso comer pizza?” Sim, uma vez por mês, descontraiu Fábio.  

       Os dez mitos ou verdades apresentados pelo pesquisador despertaram grande interesse nos estudantes e, acima de tudo, a discussão ajudou a pensar melhor nossa alimentação. Vamos destruir alguns desses mitos?

       “Quem lê rótulos de alimentos?”, poucos levantaram as mãos e o pesquisador advertiu: “Deveriam lêr e compreender o significado dos rótulos”! Reparem que alimentos diet são mais calóricos que alimentos normais. Por que? O diet reduz a 0% determinado nutriente, como o açucar, gordura ou proteínas. Se retirar o açucar, o gosto fica ruim e coloca-se gordura para melhorar, no entanto a gordura é mais calórica que o açucar:

 

Carboidrato 1 grama 4 calorias
Gordura 1 grama 9 calorias

 

       E o alimento considerado light?

       O light reduz 25% ou mais em açúcar, gordura ou sódio em relação ao alimento original. Portanto, para quem está preocupado com a balança, o light é mais indicada, já para o diabético, o diet é o indicado, quando o açúcar é o nutriente retirado. Leiam os rótulos! Fica a dica.

Adaptado de energienutrição.com.br

 

       Outro momento que desafiou os estudantes foi quando o pesquisador questionou a plateia se suco de beterraba cura a anemia? “Mito ou verdade”? Vamos lembrar que a anemia é a falta do ferro na hemoglobina. Qual é a função desta proteína? Transportar o oxigênio que se liga ao ferro para os tecidos do corpo.

       No entanto, existem dois tipos de ferro: Fe++ (ferroso) e Fe+++ (férrico). Qual desses estados é utilizado pelos organismos? O ferro Fe++ é mais facilmente absorvido porque ele está na forma “heme” (Fe++), que é aquele presente nos alimentos de origem animal como carne, fígado e gema de ovo. Alguns alimentos de origem vegetal como tofu, couve e feijão, também contêm ferro, mas é do tipo ferro não-heme (Fe+++), que o intestino absorve em menores quantidades.

       Colocar prego para cozinhar o feijão ajuda a combater a anemia? “Crença ou mito? Mito. Agora você já consegue responder que o ferro do prego é o Fe+++ , menos absorvido pelo organismo. 

 

Autor: Ricardo Marques Couto

Revisão: Caio M.C.A. de Oliveira

       Quer saber mais sobre os mitos ou verdades colocados pelo pesquisador? Assista o vídeo da palestra na íntegra no canal do Youtube da Casa da Ciência, disponível também abaixo, e descubra os mitos e as verdades discutidas pelo pesquisador.

%d blogueiros gostam disto: