O diferencial da Casa da Ciência é que ela não começa pelo fim

A Casa da Ciência tem se consolidado cada vez mais com o passar do tempo porque ela valoriza sua memória e avalia seus programas. Mais do que isso, ela busca passar aos seus pequenos cientistas a importância de fazê-lo. E o seu diferencial é que ela não começa pelo fim, não há provas que valem notas e que definem se você vai para o próximo nível, mas pelo início, e valoriza muito o meio, também chamado de processo.

E é dessa forma que os projetos desenvolvidos pelos alunos são constantemente avaliados, e não somente no Mural, que é o evento de conclusão dos programas semestrais. Durante o Mural, os alunos expõem uma síntese dos avanços obtidos por seus grupos de pesquisa, tornando este um momento muito importante e rico, e, de certa forma, uma conclusão.

Mas a equipe sabe que este evento de encerramento é apenas um recorte de tudo que foi feito e aprendido – há muito mais a ser visto nos bastidores. Por isso que valorizamos tanto o processo, porque ele faz parte da memória de cada grupo de investigação científica. E é por isso também que cada grupo recebe uma Pasta de Orientação, para que tanto o orientador quanto o aluno possam anotar o que aconteceu nos encontros, as principais perguntas, as atividades feitas e também armazenarem algumas produções, como textos e desenhos.

E é a análise da Pasta que permite que a equipe perceba como o grupo evoluiu durante o projeto, além de levantar algumas peculiaridades. Nesse ultimo semestre, por exemplo, ficou visível que, além da introdução à pesquisa, há um momento de “introdução ao congresso cientifico”, no qual os alunos de vários grupos foram orientados no sentido de entender o que é um painel, como ele é feito e como deve ser apresentado.

Outra dado interessante que pôde ser percebido com a Pasta foi a complementariedade entre as anotações dos alunos e as anotações do pesquisador. Pode ser uma pergunta que o orientador deixou passar em seu registo e que é recuperada pelo registro do aluno, ou mesmo quando o próprio orientador não tem tempo de registrar sua própria aula, mas o aluno consegue fazê-lo. Essa parceria no registro garante anotações mais ricas e uma visão holística do processo de orientação como um todo.

 

texto por Luciana Silva

edição por Vinicius Anelli

%d blogueiros gostam disto: