Oficina de textos: DivertidaMente

 

 

 

Na oficina de redação do dia 16 de março, os alunos foram convidados a escrever pequenos textos com base nas palestra do Adote um Cientista. A escolhida foi “Científica Mente: a ciência por trás do filme DivertidaMente”, com os pós-graduandos Danilo Benette Marques, Matheus Teixeira Rossignoli e Rafael Naime Ruggiero.


Ficção e Ciência Lado a lado

 

Ficção e Ciência: Lado a lado

A palestra de hoje apresentou uma explicação sobre lembranças, emoções e suas funções, em cima do filme “Divertida Mente”. Foram explicados os estímulos das emoções nas nossas lembranças que podem mudar de acordo com o contexto emocional. Vimos que as memórias são a consolidação das informações e que são evocadas pela troca de dados dos neurônios e também assimilação de ações com emoções. O corpo pode se antecipar para determinada situação através dos sonhos. Cenas do filme foram usadas de forma dinâmica e complementaram genialmente a palestra.

Alunos: Renan Luis e Lucas Bastos.

Escola: EMEB João Nogueira de Cravinhos.


 
A emoção de uma memória

A emoção de uma memória
Raiva, medo, nojo, tristeza e alegria são emoções universais que interferem no comportamento humano e constituem a memória individual. Tais emoções muitas vezes unem-se caracterizando sensações mais complexas. Por isso, vários experimentos demonstram que elas estão ligadas à sobrevivência, alimentação e reprodução. Assim, quando se entra em contato com essas sensações, conjuntos de neurônios passam a se comunicar, formando uma memória de curto prazo. Após uma boa noite de sono, essas lembranças podem se converter em uma memória de longo prazo que poderão ser relembradas. Dessa forma, a memória é a fusão entre emoção e informação, constituindo a individualidade de cada pessoa.

Alunos: Maria Costa Gonçalves e Wellyngton Freitas.

Escola: Centro Educacional SESI 259 de Ribeirão Preto.


Cérebro a biblioteca da vidaCérebro: a biblioteca da vida
O cérebro é órgão responsável por várias funções, inclusive o armazenamento da memória. Há dois tipos de memória: a de curto prazo e longo prazo. A de curto prazo nós esquecemos facilmente, diferentemente da de longo prazo, na qual armazenamos por mais tempo. A memória é como se fosse a biblioteca da nossa vida, entra em nosso corpo pelos sentidos e é consolidada para futuramente ser evocada. A memória é algo muito complexo e que possui uma estreita relação com as emoções em especial a raiva, alegria, medo, tristeza e nojo. Há relações entre diferentes partes do cérebro e diferentes emoções como a amígdala, por exemplo, responsável pelo medo. A origem da memória foi motivo de discussão entre vários cientistas. Atualmente ela é vista como uma união entre experiências de vida e a genética. Como muitos filósofos dizem, possuímos um filtro da razão constituído por nossas experiências também visto como memórias.

Alunas: Graciela, Iasmin e Giulia de Luiz Antônio.

Escolas: EE Arthur Pires, Liceu Carlos Monteiro e Centro de Educação Espaço Aprendiz.


Os mistérios por trás do cérebroOs mistérios por trás do cérebro

A neurociência abrange muitos tópicos curiosos. Por muito tempo acreditava-se que a memória localizava-se em uma área específica do cérebro, o que foi desmentido. A memória “flui” em todo o cérebro. Podemos falar sobre a memória de longo prazo, o que a torna duradoura? O fato de vivermos algumas coisas marcantes sejam elas felizes ou não, nosso cérebro tende a guardá-las como forma de aprendizado. Com o exemplo do filme “Divertidamente” vemos como as emoções tornam o controle de nossas ações, mesmo sendo um filme, animação, retrata que quase nunca podemos escolher entre agir a razão ou apenas emoção, muitas das vezes razão e emoção se juntam numa só decisão.

Alunas: Júlia Ferranti e Bruna Castro.

Escola: SESI-259 de Ribeirão Preto.