Organismos geneticamente modificados: heróis ou vilões?

Afinal o que são Organismos Geneticamente Modificados (OGM’s)? Este foi o tema discutido no Adote um Cientista do dia 14 de setembro, com o pós-graduando Relber A. Gonçales do Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Em uma analogia, o palestrante convidou todos os presentes para fazer uma viagem pela galáxia celular, na qual o sol é comparado ao núcleo da célula e responsável pelo controle de todos os planetas. Ele abordou, também, algumas curiosidades sobre o DNA, já que este está intimamente ligado ao conceito de um OGM.

Você sabia que o DNA de uma única célula humana, se descompactado e estendido fora de uma célula, mediria quase dois metros de comprimento? Ou que no corpo humano existe 10¹³ células? O DNA apresenta diversos genes, trechos que contêm mensagens para síntese de proteínas. Assim, os genes são responsáveis por determinar as características de cada indivíduo. Segundo o palestrante, todos seres humanos têm variações genéticas, isto é, variações em genes que podem expressar características diferentes ou em intensidades diferentes, mesmo todos nós pertencendo a uma mesma espécie.

Mas afinal o que são Organismos Geneticamente Modificados? De acordo com o palestrante são organismos cuja as características tenham sofrido alteração por meio da genética, ou seja, que tenham tido seus genes manipulados. Você sabia que todo transgênico é um OGM, mas nem todo OGM é necessariamente um transgênico?

Para compreender melhor o desenvolvimento dos estudos sobre a genética, os quais influenciaram a criação de OGM’s, Relber apresentou aos estudantes uma linha cronológica com os principais pontos alcançados pela ciência até o desenvolvimento dos OGM’s. Por exemplo, nas décadas de 1940 e 1950 deu-se início à produção de antibióticos. Ou o ano de 1953 e seu marco relacionado à descoberta da estrutura do DNA.

Você sabia que foi apenas entre 1971 e 1973 que criou-se o termo Biotecnologia? Mas o que é Biotecnologia? Resumindo, pode-se dizer que é um processo tecnológico que permite a utilização de material biológico para a criação ou aperfeiçoamento de um produto ou de um serviço. Ela é uma área multidisciplinar que envolve Engenheira, Química, Biologia, mais especificamente a Engenharia Bioquímica, Química Industrial e Bioquímica e a Biologia Molecular.

Você sabia que o Brasil é o 4° país com maior índice de diabéticos no mundo e que a insulina é um medicamento transgênico? Você sabia que existe a cana-de-açúcar transgênica e muitas outras plantas cultiváveis resistentes à herbicidas ou pragas naturais? E o amplamente comercializado milho transgênico (OGM), seria um vilão ou trás apenas benefícios aos produtores e consumidores?

Será que o melhoramento genético será essencial para enfrentar desafios futuros na área da agropecuária e saúde? Quais os benefícios que os OGM’s podem gerar além da produção de vacinas e o melhoramento animal e alimentar? E podem trazer algo de ruim? Acompanhe as discussões sobre esse pontos assistindo a palestra, na íntegra, no vídeo abaixo.

Por: Crislaine Messias

Revisão: Caio M.C.A. de Oliveira

%d blogueiros gostam disto: