Polinização: para que servem as flores?

Na tarde do dia 25 de maio, o professor Milton Groppo, do Departamento de Biologia e do Programa de Pós-graduação em Biologia Comparada da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP trouxe para o Adote um Cientista o tema “Polinização: para que servem as flores?”
De acordo com o palestrante, os seres humanos sempre mantiveram contato com as flores, o que pode ser comprovado a partir de pinturas rupestres que mostram a relação do homem com as plantas.
Você sabia que na história dos babilônios, civilização existiu do século XVIII ao VI a.C, há relatos sobre o figo, fruta que comemos até os dias atuais? De acordo com Groppo, os registros mostram que lá no passado já existiam os agentes polinizadores e neste caso, a vespa era que ajudava na polinização do figo.
Você sabia que tem plantas que não produzem flores? Elas são as pteridófitas (grupo das samambaias), gimnospermas (grupo dos pinheiros) e briófitas (grupo dos musgos). E que aquelas que produzem fruto e flor são chamadas de angiospermas?
Você já se perguntou para que servem as flores? Para tornar a atividade mais dinâmica, o palestrante levou flores de hibisco (Hibiscus sp.) e dividiu os alunos em dupla para que eles mesmos analisassem a morfologia das flores no decorrer da palestra.
Mas afinal, o que é uma flor? A flor é um tipo de órgão das angiospermas nos quais estão contidas as estruturas reprodutivas da planta. Você sabe quais são as partes masculinas e femininas da flor? O palestrante explicou aos participantes a estrutura das flores e como ocorre a fecundação das angiospermas.
Se as plantas não se movem, como é que elas fazem para encontrar um parceiro e se reproduzir? É nesse momento que aparece os polinizadores. Existem os polinizadores bióticos, aqueles que são seres vivos, como os insetos, mamíferos, aves, roedores; a polinização pode ocorrer também devido a fatores abióticos, isto é, sem a participação de polinizadores, por meio do vento e da água, por exemplo.
Os polinizadores são responsáveis pela transferência do pólen da antera (estrutura masculina) para o estigma (parte da estrutura feminina), e a esse processo dá-se o nome de polinização.
Aliás, você sabia que o pólen é rico em proteínas? Você sabia também que é preciso ter algum tipo de recompensa para atrair os polinizadores?
Ao final da palestra o professor Groppo pontuou a importância de aproximar os alunos do mundo das flores. “Eu considero importante trazer aos alunos uma palestra mais dinâmica, já que na escola muitas vezes eles não tem a oportunidade de analisar a planta de perto”, diz.
“Vejo também nesse estilo de aula uma forma de incentivá-los a buscar mais a área de Botânica, visto que a procura por essa parte da Biologia ainda é pequena”, complementou o professor.
Quer saber como foi para os alunos do Adote um Cientista, que com a ajuda do professor Groppo, puderam ver na prática as partes que compõe uma flor? E saber de fato para que servem as flores? Então confira a palestra completa no vídeo abaixo.
Texto por: Crislaine Messias
Revisão por: Caio de Oliveira