Receita para a ciência

Já pensou em ser cientista? É, você mesmo! Não me diga que acha que é para poucos. Esse é o intuito deste Adote em Pauta, demonstrar que todos podemos ser cientistas!

O Prof. Dr. Geraldo Passos iniciou a conversa com os alunos apresentando uma possível resposta para a pergunta feita no título. Cientista é aquele que, geralmente, busca gerar novos conhecimentos a fim de expandir o próprio conhecimento humano. Não é difícil, mas temos uma pequena receitinha para chegar lá:

 

Ingredientes:

  • Curiosidade
  • Disposição
  • Atenção
  • Leitura
  • Ingrediente misterioso

Passo a passo

  • Pegue um punhado de atenção e junte com o suficiente de disposição.
  • Depois é só acrescentar a leitura gradualmente em quantidades não determinadas, sem parar de mexer, e reserve. O estudo será a base da nossa receita.
  • Aqueça a curiosidade até aguçá-la totalmente, adicione à mistura reservada anteriormente e espere as perguntas borbulharem.
  • Quando finalmente elaborar uma, ou algumas, grande(s) pergunta(s) recorra ao ingrediente extra da mistura, o método científico, nosso elemento misterioso.
  • Deixe no forno até testar todas as hipóteses propostas, e voilà, você terá uma pesquisa científica quentinha.

Mas por que consideramos o método científico como um ingrediente misterioso e tão importante? Imagine que cientistas no mundo inteiro estão, neste exato momento, tentando criar um novo sorvete. Mas ele pode ser feito de muitos jeitos, com inúmeros ingredientes e procedimentos diferentes. Digamos que vários deles foram colocados à venda nas sorveterias sem terem sido experimentados antes, alguns outros haviam sido provados somente pelos cientistas e outros ainda foram provados por inúmeros amigos e cientistas do laboratório onde foi criado. Qual sorvete você acha que tem a maior chance de agradar os clientes?

Para isso foi criado o método científico, para colocar algumas “regrinhas” na hora de se fazer ciência, inclusive para fazer sorvete, que também é uma ciência. Desta forma diminuiríamos os riscos de ocorrer problemas no desenvolvimento de novos conhecimentos e produtos, como um remédio não muito bem testado, mas mesmo assim distribuído; ou ainda o uso de um procedimento não ético nas pesquisas.

Quer saber mais sobre essa carreira incrível? O Professor Geraldo explica tudo certinho no vídeo abaixo, dá uma olhada!

Texto de Bárbara Benati

Revisão de Marisa Barbieri