Solo Grumoso: a base do alimento

Você sabe o que é solo grumoso? Como este tipo de solo pode colaborar com a qualidade dos alimentos? Essa foi a discussão abordada pelo palestrante Fernando Rossi Trigo, mestrando em Biotecnologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e um dos mais antigos colaboradores da Casa da Ciência.

A palestra integrou a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), com o tema Ciência Alimentando o Brasil, que aconteceu de 16 a 19 de outubro. O evento, coordenado por órgãos do Ministério da Ciência e Tecnologia do Governo Federal em parceria com entidades educativas de todo país, tem como objetivo fazer com que a população, em especial jovens e crianças, conheçam e discutam resultados, relevância e impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações.

Você sabe quem é a responsável por apresentar métodos revolucionários para o tratamento do solo no Brasil? O palestrante iniciou o bate papo contando a história da agrônoma Ana Maria Primavesi.

Nascida na Áustria, em 1920, graduada em Agronomia na Universidade Rural de Viena, Primavesi completou 60 anos de carreira e ao longo de seu trabalho escreveu livros que com informações valiosas para a agricultura, em especial sobre a bioestrutura grumosa, assunto que pode ser visto na obra “Manejo ecológico do solo: a agricultura em regiões tropicais”, que é uma das principais referências nesta área.

Sabia que quando a gente respeita a biodiversidade do solo, é possível ter um crescimento até quatro vezes maior de acordo com o manejo utilizado?

Para dar continuidade à discussão, o palestrante lançou a pergunta:

Você sabe quais as diferenças entre o solo tropical e solo temperado, a importância de aplicar as técnicas respeitando cada tipo de solo? O mestrando explicou aos alunos os principais fatores que influenciam na formação do solo como, o material de origem, clima, vegetação, tempo, relevo e o homem.

Você sabia que o solo tropical é mais ácido? Ou quais peculiaridades do solo tropical devem ser respeitadas? E ainda, por que o solo tropical sofre mais erosões? Ou qual o principal problema dos solos?

Como a biodiversidade colabora para as ações do solo? O que são micro e macronutrientes? Qual a sua importância?

Assim como em todas as palestras do Adote um Cientista, o principal objetivo é acrescentar conhecimento e despertar a curiosidade dos estudantes para o novo. A partir disso, Fernando trouxe diversas perguntas acerca do solo para discutir com os participantes, entre elas:

A água é determinante para o crescimento do vegetal?

O que contém nas excreções radiculares?

E húmus, o que são? E o oxigênio do solo é importante? Para que?

Como a monocultura prejudica a estrutura do solo?

O que é matéria orgânica? Matéria orgânica é toda substância morta no solo, quer provenha de plantas, microorganismos ou excreções de animais, lançados no ambiente.

Você sabia que a adubação verde não enriquece o solo em matéria orgânica, ao contrário, gasta-a, pois é uma adubação nitrogenada e a planta não precisa só de nitrogênio. O adubo químico NPK é suficiente para manter a planta saudável? E as bactérias, como elas agem na decomposição da matéria orgânica? Ou o que seria do mundo se cada espécie pudesse multiplicar-se livremente?

Você sabe qual é a rocha que forma o chão em que estamos transitando, o solo ribeirão-pretano? Para descobrir a resposta dessa pergunta e entender melhor sobre a importância do solo, vale a pena conferir a palestra na íntegra no vídeo abaixo.

Texto por: Crislaine Messias

Revisão por: Caio de Oliveira

Este slideshow necessita de JavaScript.