Viabilidade do híbrido em espécies de Drosophila: sobrevivência e reprodução

GIOVANA FARIA

Viabilidade do híbrido em espécies de Drosophila. Esse título dá um nó na cabeça de quem não está familiarizado com o assunto, não dá? Pois o assunto não somente foi estudado e compreendido pelos pequenos cientistas como também posto em prática com o experimento do híbrido das moscas Drosophilas.

Os orientadores são: Adriano Silva dos Santos, graduado em Ciências Biológicas na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e mestre em Genética pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), e no momento, cursa doutorado em Genética, também pela FMRP; Ana Beatriz Zichinelli, graduada em Ciências Biológicas pela Faculdade de Educação São Luís – Jaboticabal/SP e, atualmente, é mestranda no programa de pós graduação em Genética da FMRP-USP; Dora Yovana Barrios Leal, graduada em Biologia pela Universidad del Valle (Cali-Colômbia), mestre e doutora em Genética pela USP-RP e, atualmente, cursa pós-doutorado também em Genética pela USP-RP;  Marcelo Wilson Aparecido Moretto, graduado em Ciências Biológicas na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp – Jaboticabal) e, atualmente, mestrando no Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada na FMRP-USP.

Conversamos com o Adriano para saber mais sobre o projeto.

Como você conheceu a Casa?

ADRIANO Inicialmente, eu conheci o projeto Pequeno Cientista, da Casa da Ciência, pela indicação da minha orientadora.

O que te motivou a escolher participar do Pequeno Cientista?

ADRIANO Realizar um trabalho com alunos de escola pública, do ensino fundamental e médio, que sempre foi um desejo meu. Além disso, a oportunidade de executar um projeto com um grupo de alunos.

Como foi realizada a escolha do tema/recorte de pesquisa para as aulas?

ADRIANO O tema foi escolhido devido à problemática sobre o que é uma espécie. Este tema foi selecionado também pela oportunidade de trabalhar conceitos biológicos importantes, tais como: reprodução, desenvolvimento, espécie e híbridos.

Por que você escolheu este método de ensino?

ADRIANO Este método foi escolhido por proporcionar uma maior integração entre abordagens teóricas e práticas.

Você já alterou algo no método de ensino ou no conteúdo após esses primeiros encontros? Se sim, baseado em qual comportamento do aluno?

ADRIANO Foi alterado, um pouco, o cronograma dos encontros, para tirar dúvidas sobre o conceito de isolamento pré e pós-zigótico.

 

O grupo é composto pelos alunos:

  • Elaine Santana Souza
  • Kariny Benzi Medeiros
  • Marcos Eduardo de Araújo
  • Maria Fernanda dos Reis Ringer
  • Maria Laura Misael

Deixe uma resposta