Afetos Políticos

A ESTRATÉGIA DO “FLUXO DE APROVEITAMENTO” PARA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA ONLINE DA CASA DA CIÊNCIA DO HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO

Caio Martins Cruz Alves de Oliveira, Marisa Ramos Barbieri

RESUMO

No presente trabalho apresentamos o “fluxo de aproveitamento” de programas educacionais da Casa da Ciência para produção de materiais de divulgação científica por pesquisadores e alunos. O fluxo é centralizado na equipe multidisciplinar da Casa da Ciência, que estimula a prática de planejamento e registro com avaliação e difusão de resultados. Utilizamos o programa “Adote um Cientista” do ano de 2018 para exemplificar esse potencial de ensino com difusão a partir da parceria com pesquisadores da Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto, e escolas da rede básica de ensino da cidade e região. A possibilidade do envolvimento de um maior público pela internet amplia a adesão à ciência e seu processo de construção além daqueles atendidos presencialmente. Para isso, pesquisadores e alunos dispõem para difusão do conhecimento de um website e mídias sociais. Nos dois semestres de “Adote” em 2018 foram disponibilizadas online palestras de 19 pesquisadores e, também, publicados textos com a cobertura dessas atividades (21 textos “Adote em Pauta”). Outros formatos de divulgação como folhetins também foram publicados (2), como “É possível estudar a doença de Parkinson em animais em laboratório?”, que fundamentou-se na experiência de orientação de um grupo de iniciação científica, isto é, teste do material de divulgação científica do pesquisador com seu público alvo. Os alunos divulgadores, a partir de seus registros, realizam produções como textos, quadrinhos, fanzines e dramatizações, compilados e disponibilizados na seção do website “Espaço do aluno” (4). A divulgação científica promovida pelo fluxo de aproveitamento das atividades educacionais as amplia e avalia, demostrando que a produção desse tipo de material pode, inclusive, apoiar e fortalecer a alfabetização científica de alunos da rede básica em espaços não-formais de ensino, e formação inicial de pesquisadores na pós-graduação.

PALAVRAS-CHAVE

Comunicação pública da ciência; Educação científica; Ensino não-formal; Extensão universitária; Popularização da ciência

TEXTO COMPLETO: PDF (P. 458-467)




Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp