A importância do registro: Por que e como fazer anotações durante as aulas?

Desenvolver o hábito de fazer anotações durante palestras, experimentos científicos, atividades de observação, aulas teóricas e práticas: esse está entre os principais objetivos que a Casa da Ciência tem com seus alunos. Será que adquirir o hábito de anotar o que aprendeu no caderno ajuda o aprendizado? Seria um jeito de aproveitar melhor oportunidades como são as palestras de pesquisadores do programa Adote um Cientista, ou ainda os encontros de orientação do programa Pequeno Cientista?

Alunos registram o que aprendem durante palestra no programa Adote um Cientista

 

A importância de anotar

Toda aula, palestra ou outra atividade educativa carrega uma grande quantidade de conhecimento subjacente a sua execução. Quando assistimos um professor ou pesquisador fazer uma fala sobre determinado conteúdo ele está resumindo para nós, e falando em uma linguagem e contexto mais fácil de entender, o conteúdo de diversos livros, cursos, artigos científicos e experiências pessoais. Ou seja, o que é apresentado nesse momento é único e não pode ser consultado em nenhum outro lugar. Fazer o registro desse conhecimento organizado e resumido é uma grande vantagem e nos dá uma fonte de consulta valiosíssima.

Sabe o que mais é único e muito importante? As perguntas que os próprios alunos fazem. As manifestações de alunos com dúvidas acrescentam ainda mais valor ao momento de aula ou palestra, uma vez que essa dúvida pode ser compartilhada entre mais pessoas que assistem à apresentação, bem como fazem com que o professor/pesquisador explique de uma nova forma alguma questão importante. Ainda têm as perguntas que levam a aula ou palestra além do que estava inicialmente previsto, que estendem o alcance e a possibilidade de aprendizado de todos, incluindo do especialista que estava apresentando. Assim, toda discussão e interação que ocorrem no momento de perguntas dos alunos também é única e não poderá ser consultada em nenhum outro lugar que não um caderno de anotações de alguém presente.

Além disso, ao tomar nota do que estamos entendendo de uma explicação, diversas relações entre conceitos prévios que temos com os novos ensinados acontecem dentro de nossas cabeças. Ou seja, uma vez que uma boa anotação exige atenção, durante esse momento tentativas de reorganização do conhecimento ocorrem mentalmente. Assim, ao registarmos o que compreendemos de uma explicação ou conceito, sintetizamos e organizamos nosso conhecimento para expressá-lo por escrito, exercício que favorece o aprendizado. Será que ao replicarmos em nosso caderno exatamente o que um professor falou sem contexto e reflexão, ou simplesmente tiramos fotos de slides, cartazes ou lousa, estamos passando pelo processo de aprendizado descrito?

Aluno faz pergunta durante palestra no Adote um Cientista

O que e como devo anotar

Não existe uma receita de como anotar que se aplique a todas as situações. É importante desenvolver seu próprio método de registar. E como fazer isso? Praticando. O exercício de estar sempre com seu caderno, tomando nota, ajudará a encontrar a maneira mais adequada. Por isso no programa Adote um Cientista oficinas de texto, fanzine, teatro, quadrinhos e desenhos são rotina, pois é nesse momento que o aluno consulta seu caderno e o avalia, identificando se o seu método de anotar é um bom registro.

E quais são as possibilidades e estratégias de anotações? Uns fazem esquemas e fluxogramas, outros desenhos, alguns preferem um texto corrido, enquanto outros tópicos. Ainda há aqueles que utilizam de mais de uma estratégia, reconhecendo que para cada conceito ou tema existe uma maneira que melhor expressa o que ele aprendeu. Ou ainda que facilita sua retomada ou consulta posteriormente. Portanto, a diversidade de estratégias de anotação provavelmente irá favorecer o aprendizado e qualidade de registro para consulta, mas quais utilizar e em que momentos cabe a cada um aprender o que funciona melhor para ele.

E, finalmente, o que devo anotar? O que o professor ou pesquisador fala, o que está escrito no slide, as perguntas que surgiram e as respostas dadas a elas, ou ainda o que eu realmente entendi da aula? Provavelmente um pouco de tudo, desde que faça sentido para você e não esteja sendo feito como uma cópia apenas, de maneira automática e descompromissada. O seu caderno de anotações deve ser único, pois ele contém a sua experiência durante uma aula, o que chamou sua atenção, o que era novo para você, bem como suas dúvidas e conclusões. O importante é perceber que todos os momentos de uma atividade educativa podem (e devem) ser registrados, e não apenas o que o professor escreve na lousa ou projeta no slide.

Exposição “Se meu caderno falasse…” apresenta exemplos de registros feitos por alunos em seus caderno de anotações

Uma marca da Casa da Ciência

Fica claro que a Casa da Ciência reconhece o registro como um instrumento pedagógico poderoso. Temos até uma exposição com cadernos de ex-alunos que você pode visitar! Se quiser saber mais você também pode ler outros textos sobre os cadernos de anotações e registros já publicados pela equipe da Casa, como sobre a assimilação do caderno de anotações pelos ex-alunos que reconhecem a importância de escrever em seus cadernos, o processo de escrever e aprender, o uso de registros na difusão científica pela Casa e a relevância do registro como instrumento pedagógico para os pesquisadores-orientadores do Pequeno Cientista na avaliação e difusão de resultados. Eae, tomou alguma nota desse texto?

 

Texto: Caio M.C.A. de Oliveira

Revisão: Gabriela Zauith

Um comentário em “A importância do registro: Por que e como fazer anotações durante as aulas?